Não existe um manual de economia para advogados. Existem boas práticas que os profissionais do Direito podem seguir para ter menos gastos e mais recursos financeiros há disposição. São dicas que ajudam a encontrar o equilíbrio para que haja um balanço saudável entre despesas e receitas, e os clientes sintam que estão pagando um valor justo pela assistência jurídica que contrataram.

Acertar no peso desses fatores ajuda a ter uma estratégia que garanta a rentabilidade e uma vida longa ao escritório de advocacia. Até a qualidade dos serviços reflete os esforços de se manter a economia, pois com essa preocupação fora da lista, o foco maior pode ser a performance da equipe e o atendimento aos processos dos clientes.

O que fazer para que todos colham vantagens (o escritório se mantenha tranquilamente e o cliente esteja sempre satisfeito) vem a seguir. São sugestões que podem ser adaptadas, porém, devem ser aplicadas para assegurar a economia para advogados.

Dicas práticas para que haja economia para advogados

1. Organizar as finanças

Dificilmente se consegue ter economia sem organizar as finanças. Um escritório de advocacia que já tem esse processo bem estruturado está em vantagem na conquista da economia para advogados. Os que ainda precisam elaborar uma estratégia financeira, têm que se concentrar para criá-la. O básico é ter uma planilha para listar todas as despesas. A partir daí, é possível ter uma visão mais clara sobre quanto o escritório precisa para custear as despesas, quais são essas  despesas e para onde está indo a maior parte dos valores direcionados a esses custos.

O mesmo deve ser feito em relação às receitas. Elas podem constar na mesma planilha das despesas para que seja mais fácil fazer o comparativo dos valores recebidos com os valores pagos.

2. Cortar ou conscientizar

o comparativo das despesas com as receitas pode indicar se há gastos a cortar ou se o melhor é conscientizar. Essa decisão pode ser direcionada pelas necessidades. Por exemplo, hoje, não fazemos nada sem luz. Nem a internet funciona no escritório se ela for wi-fi. A energia elétrica é necessária para os computadores, o telefone sem fio, estar conectado à rede. É um recurso necessário. Não tem como ser cortado. Mas há como ser reduzido pela conscientização.

Já os valores destinados à compra de papel e tinta, para que sejam feitas as cópias de documentos, podem ser drasticamente diminuídos, quase ao ponto de serem cortados. Há a tecnologia para a digitalização de documentos e o arquivamento em nuvem. Com isso à mão, não tem porque o advogado usar tinta e papel para trabalhar.

Muitos dos documentos que chegam dos Tribunais, inclusive, já são digitalizados. Só é preciso ter a certidão de teor da decisão, por exemplo, para poder enviar um protesto de sentença online. Essa iniciativa é prática, sustentável e econômica. E muito fácil de ser posta em prática.

3. Decidir estrategicamente

Uma das despesas do advogado, certamente, é com combustível ou transporte de qualquer natureza. É preciso ir ao Tribunal, ao cartório de protesto, retornar para o escritório, protestar uma sentença em outra cidade. Esse pode ser um gasto crescente, que tem formas de se contornar. Uma opção é avaliar se a contratação de um transporte privado não é mais rentável para o escritório do que abastecer o carro do advogado, por exemplo. Outra alternativa é levantar se o valor cobrado por um correspondente jurídico não é mais em conta do que se deslocar para realizar um protesto em um cartório. E há ainda a possibilidade de contratar uma plataforma para envio do protesto online para atender às demandas que surgirem referente à apresentação de protesto.

4. Envolver a todos

Existem saídas para todas as situações. Só é preciso verificar qual traz mais rentabilidade e economia para advogados. E isso depende de uma decisão estratégica, que pode ser tomada em conjunto ou ser alicerçada sobre o retorno recebido perante o questionamento referente a qual alternativa seguir.

É uma forma democrática de alcançar a economia e, como efeito, ter maior produtividade e a qualidade. A enquete pode ser bem simples. Por exemplo:

  • o que ajuda mais o nosso dia a dia: contratar um correspondente jurídico para protestar uma sentença no domicílio do devedor e orientá-lo quanto a isso ou contratar uma ferramenta para  o envio de protesto online e fazer tudo pelo escritório?

É possível até testar as alternativas e ver qual se encaixa melhor na rotina. Essa, aliás, é uma outra possibilidade para encontrar  o ponto em que economia e rentabilidade convergem positivamente para a conquista da economia para advogados.

Comentários

iprotesto