Você se preocupa em alcançar uma excelência advocatícia ainda maior? 

Então, não pare de ler este conteúdo na primeira frase! Conclua a leitura que, com certeza, surgirão bons insights daqui para você alcançar o seu objetivo.

O que você mais precisa ter em mente são os pontos de excelência que você já atende e quais são os que precisam de melhorias. Um checklist pode te ajudar nisso. Não precisa ser nada elaborado. Basta um papel e uma caneta. Com isso, você já consegue pontuar onde você se sai muito bem e onde quer se sair ainda melhor. Avalie, por exemplo:

1- Empreendedorismo;

2- Organização;

3- Uso de novas tecnologias;

4- Equipe;

5- Comunicação;

6- Planejamento;

7- Conhecimento;

8- Prazos;

9- Agilidade;

10- Tempo.

Para fazer esse diagnóstico, você pode optar por pontuar cada item, de 0 a 10, sendo 0 algo que precisa de atenção emergencialmente e 10 aquilo que já alcançou excelência advocatícia. Uma alternativa é pedir para outras pessoas da equipe pontuarem os pontos levantados por você. Alguns bons indicadores podem emergir dessa interação. Feito isso, é hora de arregaçar as mangas para melhorar o que ainda não chegou a 10. Vamos lá!

Dicas para alcançar a excelência advocatícia

Por onde começar? Infelizmente, não é possível atacar em todas as frentes. Isso não é nada estratégico. Mesmo quando se tem muito com o que se preocupar, o mais assertivo é elaborar um plano de ação para que cada coisa ganhe atenção em seu devido tempo. Basicamente, significa escolher o que trará valor para a equipe e para os clientes em um prazo desenhado como sendo o ideal.

Muitas empresas trabalham com ciclos de três meses. Dependendo do que for necessário, esse pode ser um bom período para plantar mudanças e vê-las florescer. O mais importante é colocar as ações em prática para que as iniciativas não fiquem somente no campo das ideias. Use, para isso, as ferramentas que estiverem disponíveis. A tecnologia disponibiliza algumas, que podem ser cruciais para ganho de tempo, cumprimento de prazos, organização, planejamento e agilidade.

1- O que fazer para ganhar tempo

É certo que advogados usam boa parte do seu tempo com deslocamentos. Quando tem de atender a causas em outras cidades, o planejamento para executar o trabalho, sem deixar os demais clientes desassistidos, faz parte de um esforço que não precisa ser despendido quando ele tem ferramentas à mão que o livrem de executar a parte operacional do trabalho. Pense: por que um advogado iria dedicar parte da semana para apresentar um protesto de sentença se pode fazer isso em poucos minutos, do próprio escritório, em um computador com acesso à internet? Melhor ter a agenda livre, certo? E poder investir poucos recursos em cada atividade, não é mesmo? Nesse caso, uma ajudinha da tecnologia é o que vai te fazer ganhar esse tempo e ainda economizar, desde que você use uma plataforma para enviar apresentações de protesto de sentença de forma online. Isso é possível com o iProtesto.com.

2- Agilidade não precisa ser um problema!

O consenso de que a Justiça é lenta também pode ser alterada pelos advogados. Embora o volume de processos que os juízes precisam julgar seja o que desperta essa noção, a iniciativa do profissional do direito também influencia na construção desse consenso coletivo. Sabe como? Digamos que o advogado precisa assinar um documento, mas não está no escritório para fazer isso. Então, deixa para depois, esquece e se o cliente não cobra, essa tarefa quase expira. É um risco desnecessário que não precisa ocorrer. O advogado pode ser muito ágil no retorno se tiver um certificado digital armazenado em nuvem. Com isso, ele pode devolver o documento assinado quase no mesmo momento em que a assinatura foi pedida. Uma forma de conseguir essa agilidade é com o Cofre Virtual.

3- Dica para direcionar o foco

Cada ferramenta que o advogado utiliza o aproxima da conquista de maior excelência advocatícia. Manter o foco no que é importante é essencial quando se percorre esse caminho. Ou seja, o advogado não tem que usar sua energia para controlar quando o sistema do tribunal vai estar funcionando para que seja possível  enviar uma petição. Também não precisa ter alguém no escritório só para isso. Essa tarefa pode ser feita pelo PeticionaMais. Ao deixar o documento nas “mãos” da plataforma, ele pode concentrar-se em outros pontos que requerem atenção e podem trazer maior resultado para aquilo que busca.

4- Como ser mais assertivo

Tudo o que falamos até aqui faz parte de ser mais assertivo. Mas há outra forma de buscar essa assertividade e, por consequência, ter clientes que reconheçam sua excelência advocatícia. De novo, é com uma forcinha da tecnologia. Há softwares que conseguem consultar muitos dos documentos gerados pela Justiça brasileira e indicar os meandros a seguir para ter maior possibilidade de ganho de causa. Isso elimina boa parte do trabalho que teria de ser desenvolvido pelo advogado para chegar a essa conclusão sozinho. O Convex, por exemplo,  combina jurimetria, análises preditivas e inteligência artificial para entregar aos departamentos jurídicos de empresas e grandes escritórios de advocacia uma visão completa dos processos judiciais. Dessa forma, há otimização de recursos e tempo na resolução dos problemas jurídicos.

Agora você já tem tudo o que precisa para usar a tecnologia a favor da excelência advocatícia! Talvez, mais pessoas que você conheça precisem desse conhecimento. Compartilhe com elas!

Comentários

iprotesto